A cultura do Brasileiro e o E-commerce

O Brasil é um país atípico, até por sua extensão territorial temos uma grande variedade de culturas regionais. Mas além das culturas regionais temos também as culturas de consumo e até mesmo as culturas administrativas que variam de região para região. Isso ocorre desde de nossa colonização, onde no sul do Brasil predominou a colonização européia de forma mais fiel a palavra “colonização”. Enquanto tivemos no norte e nordeste algo muito próximo a uma colonização exploratória.

Isso, querendo ou não tem reflexos nos dias de hoje. Obviamente com um mundo mais globalizado, onde não somente a informação, mas também a cultura acaba sendo mais universal, essa diferença vem diminuindo. Contudo ainda prevalece uma cultura administrativa e consumista de se obter vantagem sempre, e fazer mais por menos. O famoso jeitinho brasileiro.

E o foco principal deste artigo é que o famoso jeitinho brasileiro, muito pouco combina com o cenário atual do e-commerce. Encontrar soluções criativas para problemas é uma coisa. Administrar todo um e-commerce e buscar resolver todos os problemas na base da “malandragem” não é o caminho e definitivamente não dá certo.

E-commerce mais do que nunca é algo sério, exige conhecimento, responsabilidade e acima de tudo comprometimento. Não existe mais espaços para aventureiros. Há alguns anos atrás até era possível entrar no mercado com um e-commerce pequeno, com pouco investimento e administrar nas horas vagas. Hoje isso não é mais possível.

A própria cultura do consumidor, ou melhor do e-consumidor está mudando. O e-consumidor está MUITO mais exigente, muito mais experto e vacinado. Cada vez mais irá exigir dos lojistas virtuais garantias de qualidade e seriedade. Algo simples como responder rapidamente e-mails, mostrar conhecimento sobre o que se vende, e ser acima de tudo profissional irá fazer muita diferença.