​Tendências e modinhas do e-commerce

A internet sempre foi um ponto de ebulição de ideias e já há algum tempo estamos na moda de StartUps. Então surgem quase que diariamente projetos, ideias (muitas nem tão novas assim) e muita gente querendo empurrar algum produto / serviço novo.
Ideias boas, ideias mirabolantes, ideias utópicas, ideias sustentáveis e não sustentáveis, enfim tem para todos os gostos.
Nós que somos plataformas e desenvolvedores de e-commerce muitas vezes sofremos com tantas “novidades” e temos que aprender a filtrar o que é sério, o que tem futuro e principalmente o que tem uso real e prático. Muitas vezes os clientes não entendem que a teoria a ideia é muito legal e bonita, mas na prática o custo de aplicação e integração de uma ideia é mais cara que o seu benefício.
Nesses dias recebi um e-mail, uma empresa de logística, oferendo serviços de logística (estocagem + frete) para PME. Ai eu te pergunto, qual empresa PME tem condições de ter estoque que justifique contratar um serviço de estocagem? Sério 50% dos meus clientes são PMEs. Muitas vezes 70% do estoque deles é o estoque do distribuidor, tendo em estoque próprio somente o que tem mais giro.
E isso é só um exemplo do que tem ocorrido.
São muitas ideias, são muitos serviços que aparecem. E tentam vender a ideia de que a sua ideia é a nova tendência. Temos vários exemplos, como marketplace, recuperação de carrinho abandonado, clubes de assinatura, e o mais emblemático de todos, os sites de cupom de desconto (Grupon, PeixeUrbano, etc…).
Sempre existirão novas ideias e pessoas fazendo enorme esforço para vender suas ideias, algumas terão sucesso e outras não. O mercado é assim. O problema é que tem uma serie necessidades que o lojista virtual jamais pode esquecer e deve sempre estar melhorando, e neste sentido é que ele deve focar a maior parte de seus esforços.
O que nunca sai de moda, e o que sempre será tendência se chama qualidade e o básico:
1) plataforma confiável, fácil, bonita e intuitiva
2) Produtos com preços bons e descrição detalhada
3) Atendimento prestativo, seja por email, atendimento online
4) Pós- venda (Entrega pontual, comunicação com cliente).
5) Divulgação constante
Estes cinco pontos acima nunca sairão de moda e sempre serão tendência!

Consumidor não compra nada antes de consultar a internet, revela pesquisa

Praticamente todos os internautas (que compõem metade da população brasileira, 106 milhões de pessoas) usam a internet em alguma etapa do seu processo de compra (pré-compra, compra e pós-compra), revela o estudo “Varejo no Brasil: a influência do digital sobre o consumo. Realizado pela Boston Consulting Group (BCG), a pesquisa ouviu 2.500 entrevistados sobre suas atividades online. O impacto desse comportamento já é considerável e deve se intensificar nos próximos anos.

Pré-Compra e Pós-Compra

Até o momento, o impacto da internet é maior na fase de pré-compra. Descobrir, pesquisar e localizar marcas, produtos, serviços e lojas online já representa  de 60% a 70% das pesquisas em sites, redes sociais e buscadores como o Google. Os canais online, como o Facebook e WhatsApp, também são amplamente utilizados pelo consumidore brasileiro para expressar as opiniões de pós-compra, tanto as positivas quanto as negativas (70%).

A influência digital varia de acordo com o perfil do consumidor. A pesquisa apontou cinco segmentos distintos com base na demografia, profissão e renda, grau de adesão digital e hábitos de compra online. Cada segmento possui características distintas e exibe padrões particulares de uso, preferências e desenvolvimento do usuário online.

Entre os diferentes perfis de compra, dois se destacaram pela alta intensidade com que usam a internet para pesquisar e comprar: o dos casais antenados e os nascidos na internet. Juntos, os dois grupos perfazem 50 milhões de pessoas, (25% da população) e valorizam a variedade, conveniência, e interação.

Os consumidores também usam as ferramentas digitais de maneiras diferentes, dependendo da categoria de produto envolvida. Situações em que o preço e a escolha são importantes (caso de celulares, eletroeletrônicos e computadores), as vendas por e-commerce são pequenas (13%), mas pesquisas, comparações e busca de referências nos meios online chegam a 90% dos consumidores.

Combinação de canais

Em outra ponta da escala estão os produtos que são comprados repetidamente, como saúde e beleza. O preço é um fator menos crítico e o engajamento com a marca é alto, assim como a frequência de reabastecimento. Hoje menos de 2% desses produtos são vendidos online, mas as decisões de compra são baseadas em uma combinação de canais online e offline antes de se chegar à decisão.

O uso da internet ainda é predominante entre a população urbana de renda e escolaridade mais alta, mas essas características estão mudando e espera-se uma aceleração do digital no interior do país nos próximos anos. A estimativa é de que até o final da década 65% do território nacional já tenha acesso à internet (atualmente a proporção é de 40%), sendo que as cidades menores deverão ser as grandes impulsionadoras dessa expansão.

Procurando um diferencial para seu e-commerce?

Se você está procurando um diferencial para seu e-commerce, que tal ser honesto e sério?

É incrível, e pode parecer até estranho mas vivemos principalmente no Brasil um crise cultural absurda. Infelizmente. Os valores estão invertidos. A lei de Gerson impera, tirar vantagem sempre mesmo de que de forma desonesta é normal, comum e até mesmo elogiada de forma velada.

Porém isso é um absurdo e não é correto. Hoje você encontrar empresas que trabalham de forma honesta, correta, sem malandragem, sem letras miúdas, sem tentar iludir o cliente de alguma forma é raro.

Nós que trabalhamos com plataforma de e-commerce vemos isso diariamente. Valores ocultos, serviços essenciais que são cobrados de forma separada (se é essencial e consta no site como recurso, deveria estar incluso no valor da mensalidade, e não se cobrado a parte) com letrinhas miúdas informando isso.

Afirmo com plena convicção,  uma loja virtual deve cumprir prazos, oferecer produtos de qualidade, originais.  Obviamente problemas ocorrem, ainda mais de prazos de entrega, porém despachar o produto no dia combinado isenta muitas vezes a responsabilidade e demonstra que a empresa agiu corretamente.

Não adianta nada ter uma loja linda, preços excelentes e ter uma reputação podre. Uma hora a conta será cobrada. E essa conta pode ser cara.

Sabemos que trabalhar de forma séria e correta, é duro, pois a maioria da concorrência está jogando sujo, e você remando contra a maré.

Em um geral as pessoas estão cansadas de serem manipuladas ou enganadas. Quando se deparam com uma empresa que trabalha de uma forma correta e percebem isso, existe a fidelização do cliente.